Trilha Monumentos Históricos (Estrada Velha de Santos)

Trilha Monumentos Históricos (Estrada Velha de Santos)

Tem monumento que foi cenário de novela, tem monumento que é de homenagem, outro que serve de apoio ao visitante e outros que já não se pode mais visitar.

Essa trilha fica no Parque Estadual da Serra do Mar, declarada reserva da autoestrada Mata Atlântica, Rodovia Caminho do Mar (SP-148).

vistadamata

São 8 monumentos datados de 1922 e junto com a vista maravilhosa da mata, apesar do nevoeiro inicial, contam uma parte importante da nossa história.

Há duas opções de caminhada:

Meio trecho – ida e volta pelo parque, totalizando 9 km.

Inteira – 9km de descida, somente uma via, não sendo possível voltar por dentro do parque novamente.

Como estávamos em 21 pessoas, fretamos um micro ônibus para nos buscar ao final da trilha (Cubatão) e nos levar de volta ao estacionamento do Parque (gratuito) onde estavam o veículos.

Abaixo orientação recebida pelo e-mail referente deslocamentos:

“Saída em Cubatão somente havendo um veículo do solicitante disponível para buscar o grupo no final do passeio, caso contrário a saída será por SBC (onde há estacionamento para os carros), e neste caso o passeio será feito até a metade do percurso (até o Rancho da Maioridade), retornando para SBC a pé pelo mesmo caminho de ida, totalizando 9 km de caminhada.”

SBC = São Bernardo do Campo.

Como é na Estrada Velha de Santos

É necessário agendamento através do e-mail do parque: agendamentocaminhosdomar@fflorestal.sp.gov.br, visto que as caminhadas são monitoradas, não sendo possível fazer sozinho.

Interessante até porque as guias contam histórias sobre o local e monumentos conforme andamos, ao menos tentam, poderiam utilizar aqueles microfones já que os grupos são grandes e nem sempre dava para escutar ela chamando.

Há uma taxa que deve ser paga com antecedência de Maiores de 12 anos: R$32,00, estudantes: meia entrada, Isentos: menores de 12 anos, maiores de 60 anos e professores da rede pública de ensino.

Caso não consiga ir no dia, pode reagendar a trilha com a mesma taxa já paga, tudo pelo mesmo e-mail da reserva.

Pode parecer fácil por ser descida, mas justamente por isso não é tão fácil, as panturrilhas que o digam!

Dica: levem capa e calcem um tênis bem confortável. Por ser serra, o clima com cerração e garoa é constante.

Parte não tão boa

Talvez o atendimento e organização dos colaboradores deixou um pouco a desejar, mas nada que estragasse nossa diversão e empolgação com o desafio.

Tivemos que exigir o carimbo em nossos passaportes de trilhas ao final. Tudo sempre estava com outra pessoa e sempre essa outra pessoa não estava, desde informações até o simples carimbo.

Foi coletivo esse sentimento de que estávamos sempre “correndo” atrás deles ao invés de um suporte amigável, bem diferente dos outros Parques que já fui anteriormente.

Calçada Lorena

Como a Calçada Lorena e esse da foto, Padrão Lorena, em homenagem à Bernardo José de Lorena, que foi governador da Capitania de SP.

As figuras no azulejo em azul são imagens de tropeiros e mulas cargueiras que andavam pela Calçada Lorena, rota de mercadorias, inclusive sendo a rota que Dom Pedro I utilizou para chegar até às margens do Riacho Ipiranga e daí vocês já sabem né.

monumentocalçada
Um dos monumentos na Trilha dos Monumentos – Estrada Velha de Santos

Interessante que sem querer eu fiz essa rota “ao contrário”. Pelo cronograma de posts eu fui no Parque da Independência onde fica o riacho e a casa do grito, juntamente com mausoléu da família e monumento à independência.

Depois fiz a trilha da Nascente no Jd Botânico, nascente que alimenta o Riacho Ipiranga.

E ontem, essa rota cheia de história e beleza. Dava até um roteiro, não?

Mais informações históricas em: wikipédia

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.